Sob a liderança de Giovannoni e Fúlvio, UniCEUB/BRBCARD/Brasília enfrenta Liga Sorocabana

0
47

O UniCEUB/BRBCARD/Brasília defende a liderança do NBB contra a Liga Sorocabana nesta quinta-feira (16), às 20h, no ginásio da AsCEB. Para engatar a terceira vitória consecutiva, uma das maiores armas dos brasilienses é a dupla de veteranos Fúlvio Chiantia e Guilherme Giovannoni, 35 e 36 anos, respectivamente.

Com um currículo de peso, os dois poderiam se contentar com o passado vitorioso. Mas o desempenho nesta temporada mostra que eles estão voando contra a garotada. Juntos, lideram seis das estatísticas mais importantes em comparação com atletas da própria equipe. Fúlvio encabeça a lista de assistências, cestas de três pontos e bolas recuperadas. Enquanto Giovannoni é o primeiro nos minutos em quadra, rebotes e aproveitamento nos lances livres.

Fúlvio é considerado um dos melhores armadores do país nas últimas duas décadas. Tem passagem na Europa por cinco anos, e jogadores jovens como Deryk e Lucas Mariano confessaram que dividir a quadra com Fúlvio foi um diferencial para fechar contrato com a equipe de Brasília.

Pela segunda temporada consecutiva, o armador é o líder de assistências do NBB. Neste biênio tem média de 6,7 assistências por jogo. Em comparação com os colegas do Time de Lobos, Fúlvio tem o melhor aproveitamento nas cestas de três pontos (52%), e já recuperou 19 bolas no campeonato.

“Eu nunca venci o NBB, é um desejo muito grande que tenho. Sinto que temos potencial para brigar na ponta da tabela, e vamos lutar muito para chegar em uma final. Estou me cuidando, dedicando ao máximo em todos os treinos, ainda sonho em colocar esse título no meu currículo”, explicou Fúlvio.

Giovannoni disputou duas Olimpíadas, tem três títulos de NBB na conta, um prêmio de MVP do principal torneio nacional, tricampeonato da Liga Sul-Americana. E mesmo sendo o jogador mais velho do elenco, ele mostra que ainda aguenta o mesmo ritmo dos mais jovens. Giovannoni é o atleta do time candango que passa mais tempo em quadra, média de 29 minutos por jogo.

Acumula também 7,8 rebotes por partida, recorde do time. Além disso, tem impressionantes 88% de aproveitamento nos lances livres. Não por acaso, com frequência Guilherme chega trinta minutos antes de o treino começar para treinar arremessos.

“O mais importante é que essas estatísticas individuais ajudem o time a conquistar vitórias. Treino muito para evoluir meu jogo, mas também para passar experiência para os jogadores mais jovens. Cada um do elenco tem funções importantes, e no final o objetivo é levar nosso time ao topo”, afirmou o capitão do UniCEUB/BRBCARD/Brasília.

Troca de experiência

Fúlvio e Giovannoni são mais velhos até que o técnico Bruno Savignani, que tem 33 anos. Para o comandante da equipe, a diferença de idade gera fatores positivos para o grupo, com aprendizado para os dois lados.

“Eu estudo bastante, me preparo muito para trazer coisas novas. Mas sem dúvida nenhuma onde eu mais aprendo é no dia a dia com eles. A troca de informações, a troca de ideias, faz que eu aprenda com eles e vice-versa. Esse aprendizado mútuo é fundamental para a competição. Vamos tirando proveito disso e quero aproveitar ao máximo possível”, elogiou o treinador.

Apesar de ser o treinador mais novo do NBB, não há qualquer dúvida sobre a liderança de Savignani. Segundo Fúlvio, ele é um dos principais responsáveis pela boa campanha do Time de Lobos no campeonato.

“É uma relação aberta, sempre com muito respeito. Damos um feedback importante sobre o que a gente sente em quadra e ele escuta bastante, mas a última palavra é sempre dele. Mesmo o Bruno sendo um treinador jovem , o respeito que temos por ele e a voz ativa dele perante o grupo é fundamental para que a gente tenha esses resultados”, destacou o armador.

Sem tropeçar
Depois de enfrentar a Liga Sorocabana, o UniCEUB/BRBCARD/Brasília encara quatro jogos distante da torcida. Por isso, a vitória diante do time do interior paulista é tratada como fundamental entre os jogadores.

“O nosso objetivo em todos os jogos é sempre a vitória, ainda mais quando jogamos em casa. Respeitamos e estudamos o time deles, e vamos lutar até o fim pela vitória. Só então, depois do jogo, pensaremos na sequência que faremos fora de casa”, disse o capitão Guilherme Giovannoni.

A Liga Sorocabana tem oito derrotas consecutivas e ocupa a 13° colocação do NBB. Mesmo diante deste retrospecto negativo do rival, Bruno Savignani não quer deixar que a reação do time de Sorocaba comece justamente em Brasília.

“O primeiro jogo contra eles foi muito duro, vencemos por uma pequena diferença de pontos. Agora eles vêm de uma série negativa, mas mesmo assim estão na briga pelos playoffs. Por isso não tenho dúvidas que virão aqui para jogar com muita energia”, opinou Savignani.

Na sequência do campeonato, o UniCEUB/BRBCARD/Brasília enfrenta uma maratona de jogos fora de casa, contra Pinheiros, Mogi, Campo Mourão e Minas.

Fonte: Assessoria de imprensa

NO COMMENTS