Junto com a Seleção Brasileira de Saltos Ornamentais, Hugo Parisi fala das suas expectativas para os jogos Olímpicos de 2016

0
66

Por Igor Barros

Os atletas da Seleção Brasileira de Saltos Ornamentais participam, desde o dia 18 deste mês, de um training camp. O grupo treina no Centro de Excelência da Universidade de Brasília (UnB), o mais moderno da modalidade no país, como parte da preparação para a Taça Brasil Open, em dezembro. O campeonato é uma seletiva para a Copa do Mundo da modalidade. Entre os atletas, está o brasiliense Hugo Parisi, de 31 anos.

Nascido em Taguatinga, Hugo iniciou a carreira no esporte quando tinha apenas sete anos de idade. Ao longo de sua jornada, conquistou os resultados mais expressivos do Brasil na modalidade, o que lhe fez ser considerado o melhor atleta da categoria no país. Foi vice-campeão mundial juvenil (2002-Alemanha), vice-campeão pan-Americano juvenil (2001-México), medalhista de bronze nos jogos sul-americanos de Medellín (2010), cinco vezes campeão sul-americano e 25 vezes campeão brasileiro. Em fase de preparação para a quarta olimpíada, Parisi almeja estar entre os doze finalistas da competição, fato inédito para o país na prova de plataforma de 10 metros.

Confira a entrevista exclusiva que o atleta concedeu à Agência de Notícias Ponto Marketing:

PontoAN: Como está sendo feita a preparação para sua quarta Olimpíada?

Hugo: A preparação está sendo parecida com a das outras vezes. Estou treinando diariamente e com muita intensidade. É claro que a participação nesta edição das Olimpíadas terá um gosto especial por ser sediada aqui no Brasil.

PontoAN: Por falar nisso, você está ansioso por disputar uma olimpíada no seu país?

Hugo: Na verdade estou bem tranquilo. Venho me preparando para fazer o melhor possível. Fico muito honrado em poder participar de uma edição dos Jogos Olímpicos aqui. Poucos atletas no mundo têm essa oportunidade durante a carreira.

PontoAN: Você foi o primeiro atleta do Centro de Excelência de Saltos Ornamentais da UnB. Qual a sua opinião sobre a estrutura?

Hugo: A estrutura é muito boa. A maioria dos meus treinamentos acontecem aqui em Brasília. Quando não estou no Centro de Excelência, treino no Colégio Mackenzie, no Lago Sul. Só costumo treinar em outros estados quando tenho compromissos com a seleção brasileira.

PontoAN: Quem serão seus principais adversários em uma provável final olímpica?

Hugo: Não tenho apenas um ou dois principais adversários. Nos saltos ornamentais, existem alguns países com maior tradição – como China, México, Rússia e Inglaterra – que sempre levam equipes fortes para os campeonatos. Vai ser uma disputa bem equilibrada, isso eu garanto. Espero causar uma surpresa e chegar no pódio. (O Brasil nunca chegou ao pódio da modalidade).

PontoAN: Você recentemente descobriu que estava com tendinite nos dois cotovelos. Isso chegou a afetar os treinamentos?

Hugo: Há algumas semanas eu realmente tive uma tendinite, mas isso é normal, faz parte do dia-a-dia de qualquer atleta de alto rendimento. Estou recuperado e continuo treinando forte para chegar bem nas Olimpíadas e buscar o melhor resultado possível.

NO COMMENTS